segunda-feira, maio 28

Museu de Guttenberg - Colecção de Ex-Líbris

Jost Amman (1539–1591)
(from Meggs, Philip B. A History of Graphic Design. John Wiley & Sons, Inc. 1998. (p 64))

O Museu de Gutenberg foi fundado em 1900, meio século após o nascimento de Gutenberg, por iniciativa de um grupo de cidadãos de Mainz que pretenderam assim homenagear o inventor da imprensa. Gutenberg inventou e aperfeiçoou os tipos móveis – já utilizados pelos Chineses – mas desta feita fundidos em metal, o que permitia a sua reutilização, bem como a prensa, que estiveram na base da tipografia.
Tratou-se de uma revolução tecnológica que veio a permitir a difusão do conhecimento em larga escala e que contribuiu de forma decisiva para o desenvolvimento da cultura e ciência na Europa. Mais cf. Pedro João Gaspar. O Milénio de Gutenberg : do desenvolvimento da Imprensa à popularização da Ciência.
Começando por ser um repositório das artes do livro e da tipografia, incluindo a escrita e as técnicas de impressão de várias culturas, o Museu acabou por alargar o seu âmbito incluindo secções dedicadas às artes do livro, ex-líbris, artes gráficas, prelos, posters, papel e outras.
Os ex-líbris – que nasceram e se desenvolveram graças à invenção da imprensa – não podiam deixar de estar presentes neste Museu que possui é uma das melhores que se podem encontrar em instituições públicas. Isto, a par das do British Museum, da Bayerische Staatsbibliothek (Munique), do Germanisches Nationalmuseum (Nuremberga), da Österreichische Nationalbibliothek (Viena) e, para os ex-líbris contemporâneos a do Frederikshavn Kunstmuseum (Dinamarca).