domingo, julho 12

1º Marquês de Wellesley

Richard Colley Wellesley, KG PC (1760 – 1842), 2º conde Mornington, 1º marquês de Wellesley
Richard Wellesley era o filho primogénito de Garret Wesley, 1º conde de Mornington (1735-1781) e de sua mulher Anne Hill-Trevor, filha mais velha do banqueiro Arthur Hill-Trevor, 1º Lord Dungannon. Teve como irmãos o Hon. William Wellesley-Pole, 1º Barão de Maryborough (1763–1845), Arthur Wellesley, 1º Duque de Wellington, Príncipe de Waterloo (Países-Baixos), Duque de Vitória, Marquês de Torres Vedras e Conde do Vimeiro (em Portugal) (1769-1852) e de Henry Wellesley, 1º barão de Cowley (1773 – 1847). Sendo fiel apoiante de William Pitt, the Younger, foi por este nomeado Lord of the Treasury, em 1784, e mais tarde, em 1797, Governador-Geral da Índia. Sob a sua administração, o poder Britânico sobre a Índia expandiu-se enormemente com a derrota militar dos Franceses e dos seus aliados, nomeadamente o Nizam de Hyderabad e o bravo Sultão Tippoo, e a subsequente submissão dos Maratha e dos restantes príncipes ao domínio Britânico. Ficaram assim lançadas as bases do domínio Imperial Britâncio sobre a Índia. Em 1783, com a fundação da Ilustríssima Ordem de São Patrício, o rei Jorge III nomeou Lord Mornington cavaleiro da Ordem e, em 1799, concedeu-lhe o título de Marquês de Wellesley (no pariato da Irlanda). Em 1809, durante a Guerra Peninsular, Lord Wellesley foi nomeado embaixador junto da Junta de Cádiz, Espanha e em Dezembro, a seguir à demissão de George Canning, que conduziu à queda do ministério do Duque de Portland, ascendeu a Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, no ministério de Spencer Perceval, cargo em que se manteve até 1812, quando foi substituído por Lord Castlereagh. Lord Wellesley foi um defensor da Emancipação Católica e um crítico do Congresso de Viena e dos arranjos diplomáticos para a Europa que dele emanaram, designadamente, da destruição da República de Veneza e da partição da Polónia. Em 1821 foi nomeado Lord Lieutenant of Ireland e favorecendo a emancipação Católica reprimiu com vigor os excessos Orangistas. Em 1828, Lord Mornington demitiu-se com a chegada ao poder de seu irmão Lord Wellington fervoroso opositor da emancipação Católica. Da sua antiga amante Hyacinthe-Gabrielle Roland, com quem se tinha casado em 1794, Lord Mornington teve una filha Anne Wellesley (1788 - 1875) que casou em primeiras núpcias, em 1806, com Sir William Abdy, 7º Baronete; e após ter obtido o divórcio, em 2as. núpcias, em 1816, com o seu amante e amigo de seu primeiro marido Lord William Charles Augustus Cavendish-Bentinck, filho mais novo de William Cavendish-Bentinck, 3º Duque de Portland e de Lady Dorothy Cavendish. Através do seu terceiro filho - o Reverendo Charles William Frederick Cavendish-Bentinck (1817- 1865), foram avós de S.M. a Rainha Mãe e pelo filho mais novo Ten.-General Arthur Cavendish-Bentinck (1819 - 1877) casado com Elizabeth Sophia Hawkins-Whitshed they foram avós de William Cavendish-Bentinck, 6th Duke of Portland. F. 31282 Armas: Esquartelado de Wellesley e Colley envolto pelo Colar da Ordem de S. Patrício contend a divisa da Ordem num anel (Quis separabit?) e a data da fundação da Ordem. O ex-líbris deve ser posterior a 1783, quando Lord Mornington foi feito cavaleiro da Ordem de S. Patrício e anterior a 1799, data em que foi elevado a marquês de Wellesley, tendo recebido acrescentamentos honrosos nas armas e timbres. Fontes: Sir Bernard Burke, A genealogical and heraldic dictionary of the peerage and baronetage of the British Empire : London : Harrison, 1889 Richard Wellesley Wellesley, The Despatches and Correspondence of the Marquess Wellesley, K. G.: During His Lordship's Mission to Spain as Ambassador Extraordianry to the Supreme Junta in 1809, Robert Montgomery Martin, Editor : London : J. Murray, 1838 William Holden Hutton. The Marquess Wellesley, K.G., Clarendon press, 1893 Om Prakash (ed.). Encyclopaedic History Of Indian Freedom Movement – Lord Wellesley and Policy Expansion. Vol. 12 : New Delhi, Anmol Publs., 2002