sexta-feira, junho 15

John Blandy

John Blandy (datado 1791) Armas: Or, three urns sable with flames issuant from each proper Divisa: Ex Urna Resurgam Os Blandy’s são uma das mais antigas e prestigiadas famílias de origem Britânica estabelecidas na Ilha da Madeira, desde o início do século XIX. De início, como mercadores de vinhos e, mais tarde, como produtores de vinho da Madeira, banqueiros, agentes de navegação, indústria de moagem e com interesses na moderna indústria hoteleira e na comunicação social. O titular do ex-líbris pode muito bem, estar relacionado com os Blandy’s da Madeira. Com efeito, o primeiro Blandy de que há notícia de se ter fixado na Madeira foi um John Blandy (1783-1855) que, em 1807, chegou ao Funchal integrado num dos Regimentos Ingleses que ocuparam pela segunda vez a Madeira, sob o comando do General William Carr Beresford. Pouco se sabe porém das suas origens, para além da informação que consta no portal da firma Blandy Shipping Agency, que o dá como oriundo do condado de Berkshire, em Inglaterra. O genealogista Luís Peter Clode porém, dava-o como tendo nascido em Piddletrenhide, no condado de Dorset, provável filho de um Charles Blandy que casou, em 1782, nessa paróquia com Elizabeth Davis. Certo é, que o John Blandy da Madeira casou em Inglaterra com Janet Burden em 1810, tendo depois regressado à ilha para aí se estabelecer como mercador. As armas e a divisa do ex-líbris são idênticas às que figuram no ex-líbris do neto de John Blandy - John Burden Blandy (1841-1912) casado com Margaret Faber (1841-1877), da firma Blandy Bros. & Co. e que adquiriu, em 1885, a «Quinta do Palheiro» aos herdeiros do conde de Caravalhal, tendo nela recebido o rei D. Carlos I aquando da sua visita à Madeira no início do século XX. Outro membro desta ilustre família, neto de John Burden Blandy e filho de John Ernest Blandy (1866-1930) e de Elinor Reader, Percy Graham Blandy (1904-1972) usou igualmente um ex-líbris armoriado. O ex-líbris que reproduzimos pertenceu provavelmente a um tio homónimo do John Blandy que se fixou na Madeira. Mais: Bland’ys Group History e Ocupação da Madeira (Continua)

terça-feira, maio 29

O Mar no Ex-Libris

O Museu Valencia de ll Iustració i de la Modernitat - MuVIM tem patente uma Exposição Internacional de Ex-Líbris sob o tema «El mar, els libres - Exposició internacional d'ex-libris marítms» de 25 de Abril - 8 de Julho de 2007, comissariada pelo Dr. Gian Carlo Torre e Víctor Oliva.
A exposição teve a colaboração do Museu Marítimo de Barcelona e de destacados coleccionadores de ex-libris: Gian Carlo Torre (Itália), Henk Muda (Países Baixos), Tazuo Matzubishi (Japão), Katona Gábor (Hungria), José Miguel Valderrama Esparza, de Sevilha e, Justo Llácer, Arturo Zaera e Víctor Oliva, de Barcelona.
Acaba de ser publicado (Abril 2007) um pequeno mas luxuoso Catálogo ilustrado com exemplares que figuram na exposição, com textos de Romá de la Calle, director do MuVIM, de Gian Carlo Torre, de Anna Maria e Andrea Disertori e de HenkMuda (ISBN 978-84-7795-460-6).
Há muito que o Mar e o tema marítimo atraem os ex-libristas de todas as épocas e latitudes.
De sublinhar, que na exposição figuram os ex-líbris do Município deLisboa, do Arquivo Histórico Ultramarino e o gravado a buril por Mestre Paes Ferreira para Vincenzo Ciccoti, embora muitos mais existam, como o que segue.
Ex-Líbris de homenagem ao grande navegador Fernão de Magalhães (c. 1480-1521), desenhado, em 1985, pelo Prof. Béla Albert Petry (1902-1996), artista de origem Húngara, radicado nos E.U.A., para Dom Telmo de Bragança (1925-1985):

P 2, 2 cores, 1985